Doria adia reabertura total e vê aumento de casos de Covid-19 no estado

Nova atualização do Plano SP foi adiada para garantir correta análise das estatísticas de casos graves e óbitos por coronavírus

0
325
Contra reabertura total

Um dia após as eleições municipais, que mobilizaram o Brasil todo, o governo de São Paulo tratou de tomar providências para imediatamente anunciar que “indicadores de ocupação de UTI e internações, cresceram nesta última semana em relação à semana anterior” e adiar a reabertura total das atividades.

O Governador João Doria anunciou, nesta segunda-feira (16), o adiamento da nova atualização do Plano SP para o dia 30 de novembro, mantendo as restrições as atividades na maioria do estado ainda na fase amarela do Plano SP, e sem avançar com as cidades que se encontravam na fase verde.

O Governo do Estado alegou que a medida foi necessária em razão de instabilidade nos dados sobre óbitos e casos graves de coronavírus, provocada por falhas no sistema SIVEP do Governo Federal. Objetivo é garantir transparência na análise das estatísticas e mais segurança para a população.

“A atualização do Plano SP, em virtude da pane no sistema de dados do Ministério da Saúde, será feita no dia 30 de novembro. Esta pane afetou a normalização das informações em todo Brasil e aqui em São Paulo em especial. Por esta razão estamos adiando a atualização do Plano SP. É uma medida de cautela e que demonstra a nossa responsabilidade em não alterar a classificação das regiões do Estado sem ter todos os indicadores disponíveis”, disse o Governador.

Em razão das dificuldades de acesso ao sistema federal SIVEP, em seis dos últimos nove dias, houve problemas tanto na notificação por parte dos municípios quanto na extração de dados pela Secretaria de Estado da Saúde. Isso afetou diretamente a contabilização dos números das semanas epidemiológicas 45 e 46. Nesta segunda, o Estado ingressou na 47ª semana epidemiológica.

O governador não fez nenhuma relação entre os problemas de notificação dos municípios, e as eleições municipais, já que todas as prefeituras estão envolvidas com o processo eleitoral. Sempre importante lembrar que o aumento no número de casos e internações, gerando uma possível segunda onda de Covid-19, permite ao governador retroceder nas fases do Plano SP e deixar todas as cidades na fase amarela ou anterior forçando o fechamento de comércios e serviços.

“Pelos indicadores disponíveis, a maioria da população do Estado hoje seria promovida para a fase verde do Plano SP (o que permitiria uma reabertura total). Porém, indicadores de ocupação de UTI e internações, sob responsabilidade do Governo do Estado de SP, cresceram nesta última semana em relação à anterior. O momento requer precaução para uma análise mais completa para a proteção da população”, afirmou Doria.

Estatísticas

O secretário de Saúde, Jean Gorinchteyn, fez um alerta para o crescimento de estatísticas de internação pelo coronavírus em São Paulo. Segundo dados apresentados por ele, houve um aumento de 18% no número de internados, tanto na rede pública quanto no sistema privado. Os números, porém, são comparados com a semana epidemiológica 45, quando os dados foram os menores do Plano São Paulo.

“Por precaução e responsabilidade, o Governo do Estado optou por não realizar a reclassificação do Plano SP na data de hoje. Essa medida visa não só a transparência, como principalmente a segurança da população para que haja melhor análise dos índices de saúde”, ponderou o secretário.

Com isso a reabertura total das atividades fica mais distante para comércio e serviços.

COMENTÁRIOS:

Por favor coloque seu comentário!
Por favor entre seu nome aqui