Entenda porque a Reforma da Previdência dos Servidores Estaduais é tão importante

A previsão do Governo do Estado de São Paulo é de uma economia de R$ 32 bilhões em 10 anos com a reforma da previdência

0
572
Impeachment Doria
Futuro da aposentadoria dos servidores estaduais está em tramitação na ALESP

Em 2018, dos R$ 34,3 bilhões gastos com a previdência para pagar 550.000 aposentados e pensionistas servidores estaduais, R$ 29,5 bilhões vieram de fontes do Governo (86% do total); e somente R$ 4,8 bilhões da contribuição dos servidores (14%). A projeção é que em 2022 os gastos com os aposentados e pensionistas ultrapasse o despendido com os 643 mil servidores da ativa.

Basicamente o Estado virou um mero pagador de aposentadorias.

Por isso o Governo de São Paulo está tentando aprovar na Assembleia Legislativa do Estado a reforma da previdência dos servidores estaduais. A situação é extremamente crítica. E para esclarecer faremos abaixo um pequeno resumo para que todos entendam o tamanho do problema que temos hoje:

São Paulo tem atualmente 1,2 milhão servidores públicos, sendo:

  • 643 mil funcionários ativos.
  • 550 mil aposentados e pensionistas.

Em 2023, a situação vai se inverter.

  • 547 mil funcionários ativos
  • 605 mil aposentados e pensionistas

Teremos cada vez mais aposentados, e atualmente essa conta não fecha:

  • – Gastos com aposentadorias: R$ 34,3 bilhões.
  • – Servidores contribuem com R$ 4,8 bilhões
  • – Com isso o Governo tem um déficit de 𝐑$ 𝟐𝟗,𝟓 𝐛𝐢𝐥𝐡𝐨̃𝐞𝐬.

Ou seja, para cobrir o déficit o Governo tira recursos de outras áreas para pagar as aposentadorias. O resultado é que os gastos com previdência já são maiores que gastos em saúde, educação em segurança, veja abaixo:

  • Segurança: 11,4 bilhões
  • Saúde: R$ 24,1 bilhões
  • Educação: R$ 33,4 bilhões
  • Previdência: R$ 34.3 Bilhões

Como vimos a cada real gasto em aposentadoria, um real a menos será tirado de uma dessas três áreas. Assim apoiar a Reforma da Previdência é CONSEQUENTEMENTE apoiar mais recursos para saúde, educação e segurança.

Essa situação é preocupando porque os gastos da previdência cresceram 163% em 10 anos.

  • Gastos com a Previdência Estadual:
  • – 𝟐𝟎𝟎𝟖: 𝐑$ 𝟏𝟑 𝐛𝐢𝐥𝐡𝐨̃𝐞𝐬
  • – 𝟐𝟎𝟏𝟖: 𝐑$ 𝟑𝟒,𝟑 𝐛𝐢𝐥𝐡𝐨̃𝐞𝐬
  • – 𝟐𝟎𝟐𝟖: 𝐑$ 𝟓𝟑,𝟓 𝐛𝐢𝐥𝐡𝐨̃𝐞𝐬 (𝐬𝐞 𝐧𝐚𝐝𝐚 𝐟𝐨𝐫 𝐟𝐞𝐢𝐭𝐨)
  • A proposta do Governo:
  • Iguala as regras dos servidores do Estado aos federais.
  • Aumenta a contribuição dos servidores, para reduzir o rombo.
  • Garante uma economia de 𝐑$ 𝟑𝟐 𝐛𝐢𝐥𝐡𝐨̃𝐞𝐬 em 10 anos!

Alguns Estados, quando tiveram a oportunidade de ajustar as suas contas, não o fizeram. O resultado? Quebraram! O Rio de Janeiro atrasou salários e aposentadorias. Rio Grande do Sul também quebrou. A matemática não falha. É temos a chance de não repetirmos o passado.

Os projetos espelham-se na reforma federal ao instituir a fixação de idade mínima para se aposentar, respeito ao teto do Regime Geral da Previdência Social (RGPS) para cálculo dos benefícios, novas regras para pensão por morte e contribuição de 14% para servidores inativos. Serão mantidas regras especiais para professores, policiais e pessoas com deficiência.

Mudanças

Quando as novas regras entrarem em vigor, a idade mínima para aposentadoria voluntária será de 62 anos para mulheres e de 65 anos para homens. Já o tempo mínimo de contribuição passa de 35 para 25 anos de recolhimento.

Com o objetivo de aumentar as receitas e reduzir a insuficiência financeira também está sendo proposta a elevação da alíquota da contribuição previdenciária de 11% para 14%, mudança que entrará em vigor 90 dias após a aprovação do projeto pela Assembleia Legislativa.

No caso dos policiais militares, o Governo do Estado de São Paulo vai seguir a decisão do Congresso sobre o Projeto de Lei Complementar nº. 1645/2019, que está em tramitação e trata das regras de inatividade de militares.

Também estão contempladas no texto alterações no benefício de pensão por morte, seguindo as determinações da Reforma federal. O benefício passará a ser baseado em sistema de cotas, com previsão de valor inicial de pensão diferenciado conforme o número de dependentes. Haverá desvinculação do valor ao salário-mínimo, entre outras alterações.

COMENTÁRIOS:

Por favor coloque seu comentário!
Por favor entre seu nome aqui