Especialistas sugerem aumentar restrições e Doria preferiu esperar as eleições

João Gabbardo afirmou que, por maioria, o Centro de Contingência optou pelo endurecimento das medidas de restrição.

0
85
Especialista do Centro de Contingência

O coordenador-executivo do Comitê de Contingência do Coronavírus em São Paulo, João Gabbardo, afirmou que o grupo de especialistas enviou ao governo de João Doria (PSDB) uma série de recomendações para aumento das restrições contra a pandemia do novo coronavírus.

Entretanto, ainda de acordo com ele, a decisão do governo Doria foi de esperar até segunda-feira (30) para que sejam adotadas ou anunciadas quaisquer alterações a respeito do Plano São Paulo, programa de regras para endurecimento ou flexibilização das medidas restritivas devido a Covid-19.

“O governo recebeu essas solicitações ontem (quarta-feira) e entendeu que essas sugestões estão embutidas dentro do Plano São Paulo e no novo faseamento, que vai ocorrer nesta segunda-feira. (…) Hoje, conversamos e não temos os dados completos da semana. Vamos aguardar os dados para definir como ficarão as novas fases a partir de segunda-feira”, completou Gabbardo.

A decisão de adiar para o dia 30 de novembro — um dia após o segundo turno das eleições municipais — a revisão do Plano São Paulo foi anunciada na semana passada. No mesmo dia, o governo Doria reconheceu um aumento de 18% na média de internações de pacientes com Covid-19 no estado.

“Efetivamente, na terça-feira (24), houve reunião e o centro, por maioria, aprovou encaminhar ao governo do estado algumas recomendações no que diz respeito ao aumento de restrições e algumas medidas que poderiam ser tomadas”.

João Gabbardo

O adiamento foi justificado por uma falha no sistema que compila os dados de Covid-19 do Ministério da Saúde, ocorrida há duas semanas. Na semana passada, por conta dos problemas nos servidores do governo federal, o estado de São Paulo ficou cinco dias sem divulgar boletins com números de casos e óbitos por novo coronavírus.

SECRETÁRIO DIZ QUE DADOS NÃO INDICAM NECESSIDADE DE RESTRIÇÃO

O secretário Estadual de Saúde, Jean Gorinchteyn, afirmou que os dados apresentados até agora não dão suporte para medidas mais restritivas.

Tanto ele quanto Doria indicaram em suas respostas que o pedido dos especialistas para endurecimento das medidas teria partido de integrantes do Comitê de Contingência, e não pela maioria do conselho como afirmou Gabbardo.

COMENTÁRIOS:

Por favor coloque seu comentário!
Por favor entre seu nome aqui