Furtos e roubos de celulares no Carnaval despencam 48% em São Paulo

Forças de segurança focaram na integração policial e no reforço em monitoramento e inteligência durante blocos e desfiles

0
98
polícia carnaval furtos e roubos

Os roubos e furtos de celulares registrados durante eventos deste Carnaval tiveram queda acentuada de 48% no estado de São Paulo, em comparação ao período da festa de 2023. O levantamento foi divulgado nesta quarta-feira (14) pelo Governo de São Paulo, por meio dos registros de boletins de ocorrências da Secretaria da Segurança Pública.

Conforme os números computados no sistema da Polícia Civil, houve a subtração de 686 aparelhos no período de 9 a 14 de fevereiro, com 597 furtos e 89 roubos.

No Carnaval do ano passado, houve registros de 1.320 delitos entre 18 e 21 de fevereiro – 1.163 furtos e 157 roubos. O levantamento considera apenas as ocorrências onde as vítimas indicaram no boletim que o crime aconteceu em eventos relacionados ao Carnaval.

“Nosso planejamento estratégico teve como foco a integração entre as polícias, trabalho de inteligência e alto grau de monitoramento”, destacou o secretário da Segurança Pública, Guilherme Derrite. “Mais uma vez, repetimos o sucesso na segurança do maior Carnaval de rua do mundo, o que evitou que a festa fosse palco para o crime.”

Queda geral de 9,3%

O levantamento também aponta queda nas ocorrências gerais de roubos e furtos de celulares ao longo do Carnaval de 2024, independentemente do evento ou local em que as vítimas estavam quando os crimes aconteceram. Houve uma queda de 9,3% nos delitos, quando comparados ao período carnavalesco do ano passado.

A Polícia Civil recebeu 3.159 queixas relacionadas à subtração de celulares neste ano. A maior parte foi de furto, com 2.005 registros. No Carnaval de 2023, foram elaborados 3.486 boletins de ocorrências similares.

“Esse é um recado claro aos criminosos de que as festividades não serão oportunidades para roubos e furtos no estado de São Paulo”, completou Derrite.

Reforço policial nos dias de festa

As Polícias Civil e Militar realizaram uma força-tarefa para combater os crimes durante os dias de folia. Cerca de 20 mil policiais trabalharam para garantir a segurança em todos os 645 municípios paulistas.

Neste ano, a Polícia Civil atuou, de forma inédita, com agentes que atuaram diretamente nos blocos. Ao longo da Operação Carnaval, na capital, 54 suspeitos foram presos. Os policiais ainda recuperaram 183 aparelhos celulares e apreenderam 598 cartões bancários.

A estratégia também foi adotada pela Polícia Militar. Policiais com trajes civis circularam em meio ao público para observar atitudes suspeitas e prevenir crimes. O trabalho foi coordenado pelo Centro de Operações da PM (Copom), que montou um Gabinete de Comando e Controle, com a integração de diversos órgãos do Estado e da Prefeitura de São Paulo.

A PM, por meio do Copom, recebeu no período de Carnaval 299 chamados relacionados a furtos e roubos de celulares na capital. A queda foi de 68% na comparação ao Carnaval de 2023, quando o Copom foi acionado 955 vezes pelos foliões.

De acordo com a PM, 622 pessoas foram presas em território paulista durante o Carnaval deste ano – 148 detidos eram procurados pela Justiça. A corporação ainda apreendeu 47 armas e retiraram das ruas pouco mais de 600 quilos de drogas.

Educação de SP libera investimento de R$ 257 milhões para reparos em 445 escolas

COMENTÁRIOS:

Por favor coloque seu comentário!
Por favor entre seu nome aqui