Ministro da Educação comemora início das Escolas Cívicos-Militares em 2020

Weintraub anunciou a instalação de 54 escolas cívico-militares em todo o Brasil

0
344
O ministro da Educação, Abraham Weintraub, durante apresentação do "Compromisso Nacional pela Educação Básica".

Em um vídeo postado na sua página no Twitter neste domingo (8), o ministro da educação, Abraham Weintraub, anunciou que no próximo ano, no período de volta às aulas, serão instaladas 54 escolas cívico-militares. Segundo o ministro, o objetivo é expandir o modelo por todo Brasil, tendo como primeiro passo a instalação dessas 54 escolas.

No vídeo, o ministro pede paciência, afirmando que este é o desejo da maioria dos brasileiros. “Assim como a grande maioria dos brasileiros quer escola cívico-militar, existe um pequeno grupo de pessoas organizadas, de movimentos ideológicos, tentando impedir, então não há margem para fracasso”, afirma Weintraub.

Em seguida, o ministro levanta argumentos como a melhora do desempenho dos alunos, a segurança, disciplina, respeito e patriotismo. Segundo ele, entre os motivos para se instalar as escolas de modelo militar “é para garantir que esta bandeira verde e amarela, nunca vá ser vermelha”, exclama segurando a bandeira e finaliza o vídeo beijando a bandeira.

A implantação das escolas cívico-militares é uma das pautas do presidente Bolsonaro desde a corrida presidencial, e sempre foi pauta da deputada Leticia Aguiar, que foi autora de uma da Ideia Legislativa junto ao Senado Federal para criação de Colégios Públicos Militares em cidades com mais de 30 mil habitantes em todo o Brasil .

O projeto de lei 295/19, de autoria da Deputada Estadual Leticia Aguiar, que autoriza a criação de Colégios Públicos Militares recebeu parecer favorável da Comissão de Constituição, Justiça e Redação da Assembleia Legislativa de São Paulo. Antes de chegar ao plenário para votação final, a propositura será analisada ainda pelas Comissões Permanentes de: Educação e Cultura; e Finanças, Orçamento e Planejamento.

Para Leticia Aguiar a aprovação na Comissão abre caminho para que o projeto siga tramitando na Alesp. “Hoje avançamos mais um passo para melhorar a educação no Estado de São Paulo. Vamos seguir acompanhando a tramitação do projeto e trabalhando para que vire lei o quanto antes”, disse.

Em julho de 2017 a parlamentar visitou o estado de Goiás, um dos estados brasileiros com o maior número de colégios deste modelo de ensino, para conhecer a estrutura organizacional das escolas militares e adaptar o modelo à realidade paulista.

Após ser eleita deputada estadual, uma das primeiras atividades da parlamentar foi registrar o projeto de lei e apresentá-lo ao governador de São Paulo.

O projeto de lei dos Colégios Públicos Militares propõe utilizar a estrutura organizacional da Polícia Militar, e visa aumentar a qualidade de ensino, retomar o controle e o respeito pelos professores, coibir a criminalidade e reforçar aulas de civismo e patriotismo para os alunos das escolas estaduais paulistas.

Pelo projeto, os colégios oferecerão ensino infantil, fundamental e médio, com educação integral, e além das disciplinas normais previstas pelo Ministério da Educação (MEC), o Comando da PMESP poderá adicionar disciplinas complementares voltadas a formação do cidadão ensinando valores como o civismo, a compreensão e respeito às leis, os direitos e deveres do cidadão, ideais da família, o patriotismo, música, educação física militar, ordem unida, prevenção às drogas, Constituição Federal, etc.

COMENTÁRIOS:

Por favor coloque seu comentário!
Por favor entre seu nome aqui