Por que cachorros não estão fazendo parte do dia a dia de escolas?

As escolas podem ser “Pet Friendly”?

0
6414
Cachorros na Escola
Guto foi batizado em homenagem ao Professor, que dá nome à escola municipal — Foto: Escola Municipal Professor Augusto Gotardelo/Arquivo

Se você tem cachorros sabe que a expressão em inglês ‘pet friendly’, virou moda, e caracteriza os lugares “amigos dos animais”, mas cachorros combinam com escolas?.

Pensando no melhor acolhimento dos pets, mas principalmente pensando nas pessoas que amam animais, diversos estabelecimentos comerciais já se adaptaram para garantir a convivência harmônica entre os animais, seus tutores e os demais clientes.

É claro que saber que você tem direito de levar o seu pet para locais que você frequenta é legal, mas esse benefício, que implica em muita responsabilidade, pode ser estendido para o ambiente escolar?

É preciso mais do que bom senso para tomar essa decisão e antes de mais nada perceber se o seu animal vai gostar do ambiente escolar e se a escola pode acolhê-lo.

E a adoção de animais? Com tantos animais abandonados pelas ruas diversos comerciantes permitem a realização de feiras de adoção, e até oferecem água e alimento e abrigo para cachorros de rua. Mas será que uma Escola pode adotar um cachorro e permitir que ele interaja com seus alunos? As escolas podem ser “Pet Friendly”?

A ideia não é novidade e se relaciona com uma série de questões que envolvem o universo PET e a educação, que vão desde a responsabilidade social, o abandono de animais, a aprendizagem e o desenvolvimento cognitivos dos estudantes com deficiências ou necessidades especiais, bullying, até o desenvolvimento do senso de responsabilidade, além da possibilidade de preparar as crianças emocional e socialmente, essas e outras vantagens que a presença de animais em escola pode trazer.

Exemplos de sucesso não faltam no Brasil e no exterior, o que nos remete a pergunta do título:

Porque cachorros AINDA não estão fazendo parte do dia a dia das escolas em todo o Brasil?

Escolas Estaduais Paulistas poderão ter cães em sala de aula

Por todos os motivos citados nesta reportagem, a deputada estadual Leticia Aguiar apresentou o PROJETO DE LEI Nº 853, DE 2019 que institui o projeto “AMICÃO”, que tem como objetivo realizar ações que contribuam com o aprendizado nas redes pública e particular de Ensino do estado de São Paulo.

Cachorros na escola

Para a parlamentar paulista já está provado que os cães estimulam a integração e o aprendizado. Com o projeto, o Governo do Estado poderá adicionar uma disciplina na grade curricular das escolas em que serão ministrados conhecimentos relacionados com a proteção dos animais, contando com a presença de um bicho de estimação em sala de aula.

Cachorros nas escolas

Meu Pet na escola

Em 2018, o Colégio Marista, em Ribeirão Preto, no interior paulista, permitiu, ao longo do ano, que os próprios alunos levassem seus bichos para dentro da sala de aula. E o resultado foi muito positivo  – Veja mais AQUI

Deu no New York Time

Diretores, professores, funcionários e um cachorro. Desde o início de 2017, esse é o quadro de profissionais que participam das atividades diárias de 37 escolas públicas no estado de Nova York, nos EUA. Link para matéria completa.

Segundo o jornal The New York Times, o Programa Comfort Dog do Departamento de Educação, que combina algumas escolas com cães da North Shore Animal League America, uma organização de resgate e adoção de animais em Long Island. Um membro da equipe da escola adota um cão com triagem especial, que é bem-vindo à escola como uma dose de apoio emocional.

Abandonados pelo Brasil

Ninguém sabe ao certo quantos são os animais abandonados, e apesar dos esforços de voluntários e protetores dos animais o número de animais de estimação abandonados no Brasil é gigante, a Organização Mundial de Saúde, estima que cerca de 30 milhões animais sejam abandonados, entre 10 milhões de gatos e 20 milhões de cachorros, todos sujeitos a violência humana, riscos naturais, doenças e outros perigos.

O exemplo de Minas Gerais

O acolhimento de um cachorro na Escola Municipal Professor Augusto Gotardelo, foi o ponto de partida do projeto “Amicão – Cão na Escola”, lançado em dezembro de 2019 em Juiz de Fora. O objetivo do Departamento Municipal de Limpeza Urbana (Demlurb) é dar assistência a animais adotados por instituições de ensino e orientações para os diretores sobre os cuidados com a mascote, por meio dos departamentos de Educação Ambiental (DEA) e de Controle Animal (Dcan). VEJA AQUI A MATÉRIA COMPLETA

CÃOLEGA faz história em Pernambuco

Na Escola Municipal de Tempo Integral (EMTI) Antônio Heráclio do Rego, em Água Fria – Recife/PE, o ensino sobre os cuidados com o meio ambiente e os animais ultrapassou a teoria e dá um exemplo de cidadania. Depois de adotar dois cachorros de rua, que recebem os cuidados de diretores, professores, funcionários e alunos, a unidade de ensino resolveu incluir os animais no projeto pedagógico Cãolega, apresentado em 2018, lá os cachorros estão nas escolas.

As vantagens são para todos, mas a responsabilidade é dos adultos!

Ainda que a presença de um cachorro ou gato em uma escola traga inúmeros benefícios para a saúde física e mental das crianças, é importante destacar que, para a relação dar certo, o pet nunca deve ser responsabilidade delas, do contrário, tanto o pet quanto a criança podem sair prejudicados.

COMENTÁRIOS:

Por favor coloque seu comentário!
Por favor entre seu nome aqui