Título de eleitor, veja o que fazer para regularizar. Prazo termina em maio

Quem não estiver em dia com documento, não poderá votar nas eleições

0
338
Título de eleitor

Se você participa da vida política de sua cidade tem que estar em dia com a Justiça Eleitoral. Todos os cidadãos que tiveram seu título de eleitor cancelado por qualquer motivo, têm até o próximo dia 6 de maio para regularizar sua situação. Após este prazo, quem não estiver em dia com o documento, perde vários direitos e inclusive não poderá votar nas eleições municipais de outubro de 2020, quando serão eleitos prefeitos, vice-prefeitos e vereadores nos 5.568 municípios do país.

Em 2019 cerca de 2,4 milhões de títulos de eleitor foram cancelados. Isso porque os eleitores deixaram de votar ou de justificar ausência nas últimas três eleições de forma consecutiva. Importante salientar que para a Justiça Eleitoral, cada turno (nas cidades em que há eleição em dois turnos) equivale a uma eleição.

Agora para regularizar seu título de eleitor, o cidadão deve comparecer ao cartório eleitoral próximo de sua residência, preencher o Requerimento de Alistamento Eleitoral (RAE) e apresentar um documento oficial com foto. Além disso, o eleitor deverá pagar uma multa que hoje é de R$ 3,51 (tres reais e cinquenta e um centavos) por turno que o eleitor deixou de comparecer.

Lembre-se: o prazo para fazer a solicitação termina no dia 6 de maio, último dia para emissão de um novo título de eleitor e alteração de domicílio eleitoral antes das eleições municipais de 2020.

Nunca é demais lembrar que além de ficar impedido de votar, o cidadão que teve seu título de eleitor cancelado fica impedido de tirar passaporte, tomar posse em cargos públicos, fazer matrícula em universidades públicas, entre outras restrições.

A situação de cada eleitor pode ser verificada no site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O primeiro turno será realizado no dia 4 de outubro. Se necessário, o segundo turno será no dia 25 do mesmo mês. Cerca de 146 milhões de eleitores estarão aptos a votar. 

BIOMETRIA

No cadastro, a Justiça Eleitoral faz a coleta da impressão digital, assinatura e foto, para identificação na votação, aumentando a segurança.

Tecnologia e segurança – Abiometria confere mais segurança à identificação do eleitor no momento da votação. Junto à urna eletrônica, o leitor biométrico confirma a identidade de cada pessoa por meio das impressões digitais, armazenadas em um banco de dados da Justiça Eleitoral. As informações são previamente inseridas na urna eletrônica, sendo que cada urna tem somente os dados biométricos dos eleitores daquela seção específica.

COMENTÁRIOS:

Por favor coloque seu comentário!
Por favor entre seu nome aqui