Dep. Leticia Aguiar reúne empresários com o presidente da Investe SP, que divulga medidas para amenizar crise econômica

Encontro via videoconferência com conselheiros do Desenvolve Vale, debateu medidas para viabilizar soluções que minimizem o impacto causado pela pandemia, principalmente na manutenção de empregos

0
489
Reunião Investe SP

Por iniciativa da deputada estadual Letícia Aguiar (PSL), a parlamentar e o presidente da Investe SP (Agência Paulista de Promoção de Investimentos e Competitividade), Wilson Mello conversaram por vídeo conferência com os conselheiros do Desenvolve Vale nesta terça-feira (31).

Em pouco mais de uma hora de reunião, o presidente da Investe SP – órgão ligado à Secretaria de Desenvolvimento Econômico – fez um balanço das ações do Governo Estadual para diminuir os impactos da crise causada pela pandemia do Coronavírus.

A deputada Leticia Aguiar questionou quais ações o grupo econômico vem fazendo junto a rede bancos privados no estado, para facilitar o crédito e diminuir as taxas de juros.

Wilson Melo disse que o governo estadual em reunião com representantes dos 12 bancos que atuam em São Paulo e o governador João Doria (PSDB), estipularam um aporte de R$ 1 bilhão em linha de crédito para um fundo emergencial, e que o Governo vai disponibilizar mais R$ 1 bilhão, totalizando R$ 2 Bilhões. Metade deste montante será destinada para micro, médias e pequenas empresas. A outra metade ficará à disposição de empresas de economia criativa (turismo, hotelaria, bares e entretenimento), um dos setores mais atingidos pela pandemia.

Mello ainda afirmou que o governo do estado está aberto a flexibilizar poucos pontos das restrições à abertura de empresas e comércios até o dia 7 de abril, período de quarentena estipulado pelo governador. “Fazemos parte de um comitê que se reúne todas as terças e quintas para avaliar os impactos econômicos para enfrentar crise e quarentena, enquanto ela durar, e pensar no ‘day after’.

“Nessas reuniões, analisamos a abertura de alguns serviços, como foi o caso das lojas de material de construção e, mais recentemente, o concerto de eletrônicos”, disse. Segundo ele, após a data estipulada para a quarentena, há uma tendência de que as orientações do estado sejam divididas por regiões, já que a realidade da Grande São Paulo, por ora, é bastante diferente daquela vivida pelo interior. “Minha opinião, e isso ainda não é uma orientação do governo, é que a gente parta para essa segregação, analisando a situação de cada região. É preciso olhar para os números do Vale do Paraíba, por exemplo, e pensar como podemos trabalhar nesta região. É uma decisão técnica, mas olhando também para o lado econômico”, afirmou.

A deputada Leticia Aguiar se colocou à disposição para mediar uma solução nessa linha. “Em nosso gabinete, temos recebido diversos pedidos de empresários, autônomos e ambulantes da região. Todos estão preocupados com a situação econômica após tudo isso passar. Tenho me colocado à disposição para o diálogo com o governo estadual e com a população para que juntos possamos chegar a uma solução.”

Em busca de amenizar os efeitos econômicos e garantir os empregos na região, o Desenvolve Vale tem discutido com autoridades competentes maneiras de possibilitar, de forma responsável e segura, a reabertura de comércios e a retomadas das atividades de outros setores econômicos. “Entendemos que esta é uma crise sem precedentes no mundo todo. Precisamos cuidar de nossos idosos e todas as pessoas que estão no grupo de risco. Mesmo assim, também é preciso um olhar econômico para que não tenhamos medidas catastróficas em relação ao desemprego e o fechamento de empresas. Por isso, o Desenvolve Vale está atento às medidas em âmbito nacional, estadual e municipal, para ajudar a encontrar uma solução que seja viável para todos”, afirmou o coordenador do Desenvolve Vale, Kiko Sawaya.

Kiko Sawaya destacou a importância dessa interlocução com o governo do estado e agradeceu à deputada Leticia Aguiar. “Nestes momentos de crise é muito importante poder contar com o apoio da deputada Leticia Aguiar na interlocução com o governo do estado e agradecer por sua disponibilidade em contribuir com as soluções as demandas da RMVale” declarou.  

Sem isenção

Durante a reunião, o presidente do Investe SP,  ainda afirmou que o governo estadual não trabalha com a hipótese de isenção fiscal aos empresários. De acordo com ele, não é momento de diminuição da arrecadação. “O governo de São Paulo está sensível para o impacto na atividade econômica, mas neste momento não tem como fazer movimentos fiscais e tributários para diminuir a arrecadação. Assim como acontece com os empresários, o governo também está se preservando para honrar a folha de pagamento.”

Verticalização descartada

O chamado isolamento vertical, que excluiria apenas os grupos de risco, não é uma opção para o governo estadual. Usando dados populacionais, Mello explicou que a medida poderia colapsar o sistema de saúde de São Paulo. “O estado tem 7 milhões de idosos. Destes, 5,6 milhões vivem com mais pessoas em casa e 3,6 milhões possuem alguma comorbidade associada. Nós temos 191 mil quartos de hotéis. Não podemos simplesmente isolar os mais velhos e não darmos conta do aumento no número de casos”, explicou o presidente da Investe SP.

COMENTÁRIOS:

Por favor coloque seu comentário!
Por favor entre seu nome aqui