Deputada Leticia Aguiar solicita credenciamento de clínicas da RMVale para exames de Covid-19

Nenhuma das 39 cidades que somam mais de 2,5 milhões de habitantes possui uma unidade regional do Adolfo Lutz, o credenciamento de laboratórios é imprescindível

0
758

A deputada estadual Leticia Aguiar (PSL-SP) fez uma indicação ao Governo de São Paulo solicitando que o Instituto Adolfo Lutz credencie laboratórios nas cidades da RMVale para realização de exames de detecção do Covid-19.

Atualmente, somente o Instituto Adolfo Lutz está realizando exames desse tipo em todo o estado de São Paulo, com mais de 14 mil exames na fila de espera. Segundo a Secretaria Estadual da Saúde, cerca de 1.200 testes chegam ao laboratório por dia, mas só 400 resultados são liberados diariamente.

“O objetivo é desafogar o Adolfo Lutz, que está sobrecarregado com mais de 14 mil exames na fila, além de conseguir proporcionar um número maior de exames para a região do Vale do Paraíba, que já registra um número considerável de pessoas infectadas com o Covid-19 e três mortes pela doença”, disse a parlamentar.

As unidades regionais do Instituto Adolfo Lutz, situadas em Santo André, Sorocaba, Ribeirão Preto, Bauru e São José do Rio Preto, estarão habilitadas a processar amostras, com capacidade de 500 exames por dia em um primeiro momento, podendo chegar a até mil.

“A RMVale possui 39 cidades e mais de 2,5 milhões de habitantes e não tem uma unidade regional do Adolfo Lutz, os exames tem que ser enviados a São Paulo e demoram mais de 15 dias, por isso solicitei o credenciamento de ao menos um laboratório nas cidades da região”, declarou a parlamentar.

Nesta semana, chegam ainda 20 mil kits de testes importados e 10 mil enviados pela Fiocruz, que serão distribuídos entre o Instituto Adolfo Lutz e outros laboratórios credenciados.

Índice de letalidade do Covid-19 chega a 3,8% no Brasil

O número de casos confirmados de infecção pelo novo coronavírus no país subiu de 6.836 para 7.910 entre ontem (1º) e hoje (2), conforme atualização do Ministério da Saúde. O número de mortes passou de 240 para 299, o índice de letalidade subiu de 3,5% para 3,8%.

As mortes ocorreram em São Paulo (188), Rio de Janeiro (41), Ceará (20), Pernambuco (9), Piauí (4), Rio Grande do Sul (5), Paraná (4), Amazonas (3), Distrito Federal (4), Minas Gerais (4), Bahia (3), Santa Catarina (2), Rio Grande do Norte (2), Sergipe (2), Alagoas (1), Maranhão (1), Mato Grosso do Sul (1), Pará (1), Espírito Santo (1), Goiás (1), Paraíba (1) e Rondônia (1).  

COMENTÁRIOS:

Por favor coloque seu comentário!
Por favor entre seu nome aqui