Aniversário de São Paulo: 6 curiosidades que ligam a Alesp à capital paulista

Deputada Leticia Aguiar homenageia a capital paulista que faz 469 anos neste 25 de janeiro

0
23
Aniversário de São Paulo

Aniversário de São Paulo: Considerada a maior cidade da América do Sul, São Paulo completa, nesta quarta-feira (25), 469 anos. A capital paulista, que hoje tem uma população estimada de 12,3 milhões de pessoas, foi palco de diversos eventos importantes na história do estado e do país.

A deputada estadual Leticia Aguiar usou as redes sociais para divulgar um vídeo em homenagem a capital paulista, cidade sede da Assembleia Legislativa de São Paulo. Veja abaixo:

A Assembleia Legislativa, além de ter sede na capital, carrega muitas curiosidades ligadas a ela, seja com o seu desenvolvimento, como também com suas personalidades. Por isso, separamos seis curiosidades que contam um pouco dessa história.

1 – Visita de Nelson Mandela

Um dos momentos históricos para a cidade e para a Alesp aconteceu em agosto de 1991, quando o líder sul-africano Nelson Mandela visitou e presidiu uma sessão ordinária na Sede do Legislativo paulista.

Na ocasião, Mandela e sua esposa Winnie foram recebidos pelos parlamentares, além do então presidente da Casa, deputado Carlos Apolinário, e do governador do Estado, Luiz Antônio Fleury.

2 – Semana de Arte Moderna

A Semana de Arte Moderna, realizada em 1922, no Theatro Municipal de São Paulo, foi um movimento que marcou a história da arte brasileira, e contou com a participação de três futuros deputados estaduais.

Menotti Del Picchia era poeta, romancista, cronista e pintor, além de exercer outras diversas atividades. Ele foi também um dos articuladores, ativistas e colaboradores do evento, fazendo parte do Grupo dos Cinco, junto a Tarsila do Amaral, Oswald de Andrade, Mario de Andrade e Anita Malfatti. No Legislativo paulista, Picchia cumpriu mandato entre os anos de 1926 e 1930.

Plínio Salgado, eleito em 1928, escreveu dezenas de livros, com diversas temáticas, indo da literatura infantil à política. Na Semana de 22, ele apresentou um texto intitulado “Arte Brasileira”. E, por fim, o jornalista e advogado Cândido Motta Filho, que foi um dos fundadores da revista modernista Klaxon, também participou do movimento.

3 – Sede da Copa do Mundo

O município de São Paulo foi um dos principais palcos para a realização dos jogos da Copa do Mundo de 2014, sendo sede da cerimônia e do jogo de abertura do mundial. E a Assembleia esteve envolvida com o desenvolvimento do maior evento de futebol do planeta, responsável por trazer pessoas de diferentes lugares do mundo para a capital paulista.

Em 2010, a Alesp sediou o Seminário Internacional de Futebol em que foram discutidos os preparativos para a realização do evento, envolvendo aspectos relacionados à infraestrutura, recepção de turistas, garantia de segurança, entre outros.

4 – O velório “mais comovente da história”

Há 55 anos, o Palácio 9 de Julho, sede do Legislativo paulista, vem recebendo velórios de grandes personalidades do País. Foi assim que, em 1994, o Hall Monumental serviu de espaço para a despedida mais comovente da história do país: a do piloto de Fórmula 1 e ídolo nacional Ayrton Senna.

A comoção do funeral foi tamanha que a estimativa é de que mais de 1 milhão de pessoas participaram da despedida pelas ruas de São Paulo, acompanhando o cortejo do aeroporto até a Alesp e depois até o Cemitério do Morumbi, onde o atleta foi enterrado.

O velório do tricampeão mundial de Fórmula 1 durou 24 horas, tendo recebido autoridades do Brasil, como o presidente Itamar Franco, e de diversos outros países, como a maioria dos pilotos que disputavam as corridas e admiravam a forma destemida com que Senna pilotava.

5 – A manutenção de São Paulo como capital

A escolha do município de São Paulo como capital paulista foi importante para garantir o seu desenvolvimento, tanto em quantidade de pessoas, quanto em investimentos, aspecto que contribuiu para levar o local a se tornar uma das maiores cidades do mundo.

Ao longo da História, ocorreram algumas discussões sobre a possibilidade de se transferir a capital para outra localidade. Uma dessas ocasiões foi em 1979, quando surgiu uma proposta de tornar o município de Brotas como a nova base estadual. A ideia não prosperou dentro do Parlamento paulista.

6 – São Paulo mais bem iluminada

Exatamente por ter sido escolhida como a capital do Estado, foram necessárias mudanças para ajudar na melhoria da infraestrutura da cidade. Por isso, a Constituição do período imperial do Brasil, outorgada em 1824, colocava o Legislativo estadual como um órgão que tinha, como uma de suas atribuições, o de definir políticas urbanas da, até então, província. A separação entre o que era responsabilidade da Câmara Municipal e da Assembleia Provincial não era muito bem definida nessa época.

Por isso a Assembleia teve de atuar de forma direta na melhoria das condições urbanas da cidade, em especial na questão da iluminação pública.

De acordo com documentos do Acervo Histórico da Alesp, em 1840 a iluminação da capital era muito precária. Foi então que o deputado José Antônio Pimenta Bueno propôs que parte dos valores arrecadados com o imposto da Décima Urbana, espécie de Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) da época, fosse destinada a ampliar a iluminação pública da capital.

Assim, foi aprovada a Lei Provincial nº 9, de 9 de março de 1840, estabelecendo como seria promovido o serviço de iluminação.

COMENTÁRIOS:

Por favor coloque seu comentário!
Por favor entre seu nome aqui