Atendimento a vítimas de violência cresce 76% em São Paulo

Foram 2.476 atendimentos, entre triagens, acolhimento e consultas

0
377

Letycia Bond – Repórter da Agência Brasil  – São Paulo

O Centro de Referência e Apoio à Vítima (Cravi), rede paulista que oferece apoio psicológico e jurídico a vítimas de crimes violentos, fez, no ano passado, 2.476 atendimentos, entre triagens, acolhimento e consultas. Considerado um recorde, o resultado supera em 76% o volume atingido em 2018, que foi de 1.406.

Segundo o coordenador do Cravi, Bruno Fedri, o indicador evidencia “a popularização” dos trabalhos desenvolvidos. Balanço da Secretaria da Segurança Pública indica que, somente no ano passado, houve 236.247 crimes violentos em todo o estado. Na estatística, entram casos de extorsão mediante sequestro, latrocínio, homicídio doloso, roubo e estupro.

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) destaca que esse contexto de agressões se impõe, atualmente, sobre muitas das crianças que vivem na cidade de São Paulo. Conforme relatório lançado em novembro pelo Unicef, em 2017, mais de 1 milhão de menores de idade moravam em áreas afetadas pela violência armada, na capital.

COMENTÁRIOS:

Por favor coloque seu comentário!
Por favor entre seu nome aqui