Bolsonaro participa do lançamento do primeiro Colégio Militar de São Paulo

Neste ano, 82 alunos cursarão o 6º ano do Ensino Fundamental

0
3681
Presidente da República, Jair Bolsonaro durante Cerimônia Comemorativa do Dia do Exército, com a Imposição da Ordem do Mérito Militar e da Medalha do Exército Brasileiro.

A pedra fundamental das futuras instalações do Colégio Militar de São Paulo (CMSP) será inaugurada segunda-feira (3), no Campo de Marte, em São Paulo. A participação do Presidente da República, Jair Bolsonaro, está confirmada na agenda divulgada pelo Palácio do Planalto.

Após a solenidade, os alunos do colégio militar ingressarão pelo portão do Solar dos Andradas, sede do Centro de Preparação de Oficiais da Reserva de São Paulo (CPOR/SP), onde o CMSP funcionará até a conclusão das obras de construção de sua sede definitiva no Campo de Marte.

O Colégio Militar de São Paulo, instituição de ensino administrada pelo Exército Brasileiro, dá prioridade para matrícula de filhos de militares das Forças Armadas. O CMSP não tem nenhuma relação com o projeto de Escolas Cívico-Militares (PECIM) que o Ministério da Educação (MEC) lançou este ano e que prevê convênios com escolas estaduais já existentes.

Solenidade marca ingresso dos novos alunos do Colégio Militar de São Paulo

Neste ano, 82 alunos cursarão o 6º ano do Ensino Fundamental. Quando as primeiras turmas chegarem ao Ensino Médio, o que deve ocorrer em 2023, a previsão é de que as obras no Campo de Marte estejam prontas para abrigar todos os alunos da instituição de ensino.

O CMSP será o 14º colégio militar do País. O colégio contará com dois pavilhões de salas de aula, um para o Ensino Fundamental e outro para o Ensino Médio. Serão construídos campo de futebol com pista de atletismo e arquibancada para 800 pessoas, parque aquático, ginásio de esportes, auditório com capacidade para 300 pessoas, salas de judô e esgrima, refeitório e pátio de formatura.

Sistema Colégio Militar do Brasil
O Sistema Colégio Militar do Brasil (SCMB) é formado por 14 colégios militares que oferecem o Ensino Fundamental (do 6º ao 9º ano) e o Ensino Médio. Esses estabelecimentos de ensino, localizados em vários Estados do Brasil, propiciam educação de alta qualidade a aproximadamente 15 mil jovens.

Existem unidades de ensino do Colégio Militar em Campo Grande (MS), Curitiba (PR), Belém (PA), Belo Horizonte (MG), Brasília (DF), Fortaleza (CE), Juiz de Fora (MG), Manaus (AM), Porto Alegre (RS), Recife (PE), Rio de Janeiro (RJ), Salvador (BA), Santa Maria (RS) e, agora, São Paulo (SP).

Como ingressar

Há duas formas de ingresso nos colégios militares: por concurso público e por amparo regulamentar. Os concursos são realizados, anualmente, para o 6º ano do Ensino Fundamental e para a 1ª série do Ensino Médio. A cada ano, concorrem, em média, 22 mil candidatos, entre dependentes de militares e civis.
O ingresso por amparo, especificado em regulamento, destina-se a atender os dependentes de militares, que sofrem o os reflexos das obrigações profissionais dos pais em razão das peculiaridades da carreira.

SERVIÇO
Solenidade de Lançamento da Pedra Fundamental do Colégio Militar de São Paulo
Data: 3 de feve reiro de 2020 (segunda feira)
Horário: 9h30
Local: Antigo CELOG (Centro Logístico da Aeronáutica) Campo de Marte
Endereço: Avenida Olavo Fontoura, 1300 Santana São Paulo (SP)

Solenidade de Incorporação dos Alunos
Data: 3 de fevereiro de 2020 (segunda feira)
Horário: 10h30
Local: Pátio Patriarca da Independência Centro de Preparação de Oficiais da Reserva de São Paulo (CPOR/SP)
Endereço: Rua Alfredo Pujol, 681 Santana São Paulo (SP)

COLÉGIO PÚBLICO MILITAR

deputada estadual Leticia Aguiar (PSL-SP), é incentivadora dos Colégios Militares e apresentou o projeto de lei 295/19, que autoriza a criação de Colégios Públicos Militares na rede estadual de ensino. O projeto recebeu parecer favorável da Comissão de Constituição, Justiça e Redação da Assembleia Legislativa de São Paulo. Antes de chegar ao plenário para votação final, a propositura será analisada ainda pelas Comissões Permanentes de: Educação e Cultura; e Finanças, Orçamento e Planejamento.

Para Leticia Aguiar a aprovação na Comissão abre caminho para que o projeto siga tramitando na Alesp. “Hoje avançamos mais um passo para melhorar a educação no Estado de São Paulo. Vamos seguir acompanhando a tramitação do projeto e trabalhando para que vire lei o quanto antes”, disse.

COMENTÁRIOS:

Por favor coloque seu comentário!
Por favor entre seu nome aqui